Série – TV Digital no Brasil | Episódio 09 – Audiência

Hoje falaremos sobre um dos aspectos mais importantes, senão o mais importante, da Televisão que é a audiência. As pessoas as quais assistem a determinado programa ou emissora (se pensando em massa, milhares de pessoas) são, literalmente, quem ditam as regras. Saber quem são estas pessoas e do que elas gostam se torna fator crucial na definição de um programa, seu horário, sua aparência…ou seja, tudo está diretamente relacionado a audiência.

Partindo para o nosso foco que a TV Digital, surge com ela uma questão bastante interessante que é a possibilidade de uma medição da audiência não mais através de amostras e institutos mas sim através de informações específicas sobre cada usuário (antigo espectador) e sua reação ao conteúdo transmitido.

Como funciona(ria)?

A primeira coisa que precisamos entender é que agora com o digital haveria a possibilidade de armazenamento de dados no receptor, sejam estes dados os enviados pela emissora e exibidos na tela ou as ações executadas pelo usuário através do controle remoto. Agora vamos imaginar que a opção do canal de retorno, já discutido no blog, funcione plenamente e que estes dados das ações possam ser transmitidos de volta para emissora ou para um centro de tratamento destas informações. Teríamos ai uma gama riquíssima de informações geradas por cada individuo, transmitido instantaneamente. Sem muita teoria, o que se ganha?

– A resposta/reação imediata do público durante a exibição de determinado programa. Pode-se saber se as pessoas trocaram de canal ou ainda com o uso da interatividade saber se estão gostando do conteúdo, medindo a satisfação diretamente com seu público.

– Seria possível também recolher informações específicas sobre cada usuário (assim como a internet faz).

Em ambos os casos há o interesse da emissora e principalmente o interesse por parte da publicidade que conseguiria através destas ricas informações direcionar seus anúncios a uma “massa selecionada”, ou seja, um número muito grande de pessoas mas que foram selecionadas de acordo a necessidade (sexo, idade, preferências por conteúdo, etc.).

Qual a dificuldade?

Para que estas possibilidades na medição da audiência se tornem possível, além do canal de retorno em pleno funcionamento precisaria ainda se pensar na questão das múltiplas telas e outras formas de consumo deste conteúdo gerado pelas emissoras. A partir do momento que se permitiu a recepção móvel devemos tratar estes usuários também como audiência, ai então a necessidade do desenvolvimento de tecnologia que permita também medir as pessoas que assistem a televisão digital através do celular, por exemplo. Outra questão seria o consumo de material gravado e on demand. O SBT por exemplo realiza a postagem de boa parte de sua programação no youtube e estes vídeos geram milhares de views e estas pessoas podem sim ser considerados audiência pois em algum momento elas tiveram a ação de selecionar determinado programa para assistir.

E a privacidade, como fica?

Assim como na internet a discussão sobre a privacidade surge como algo inevitável quando se pretende utilizar os dados de uso gerado por parte do usuário. Penso que haveria a necessidade de um órgão sério (difícil né?) no qual seriam centralizadas todas as informações referentes a audiência e este órgão direcionar as informações de consumo filtradas as emissoras. Seria complexo devido a questão do volume de informações e velocidade que isso precisaria ser feito. Outra possibilidade seria a de já no desenvolvimento da tecnologia se pensar em captar apenas os dados que não comprometam ou relacionem pessoa audiência diretamente ao indivíduo em específico, ou ainda centrais de amostragem por cidades ou regiões.

O fato é que os institutos de audiência perceberam esta necessidade de mudança e estão correndo atrás. O IBOPE por exemplo informou que fará a medição de audiência do consumo de material gravado. Outros institutos partem para o lado da reação, se associando por exemplo ao Twitter para avaliar estas pessoas que falam sobre determinado programa / emissora, afim de enriquecer os dados obtidos.

Outra longa discussão e que necessitaria de um aprofundamento qual não é o objetivo desta série. Neste momento o objetivo é apresentar os temas relacionados a implantação da TV Digital no Brasil, mas certamente voltaremos a todas as discussões apontadas e, ai sim, nos aprofundaremos.

Vamos ao vídeo:

Tem alguma informação para complementar o conteúdo? Envie nos comentários e compartilhe seu conhecimento com os outros leitores.

Um abraço.

Rodrigo Angelotti

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s